segunda-feira, abril 17, 2006


O corpo de Francisco Adam- Dino- estara em camara ardente, hoje, 17 de abril, a partir das 15.30 horas, na Igreja de Sao Joao Batista, localizada na pequena localidade de Runa, junto a Torres Vedras. O funeral tera lugar amanha, dia 18.

quarta-feira, abril 12, 2006








Fuga

Vento que passas, leva-me contigo.
Sou poeira também, folha de Outono.
Rês tresmalhada que não quer abrigo
No calor do redil de nenhum dono.

Leva-me, e livre deixa-me cair
No deserto de todas as lembranças,
Onde eu possa dormir
Como no limbo dormem as crianças.

Miguel Torga, Diário, Vol.V, 1951

sexta-feira, fevereiro 17, 2006


O último dia no básico...
Não, não foi apenas o último dia do básico, foi mais do que isso
Foi um encerramento de um ciclo que dava início a outro
Foi uma mistura de sentimentos
Era o último dia em que ia estar com aquelas pessoas,
naquele ambiente, naquela escola
Não queria ir embora
Houve choro, muito choro
Toda a gente abraçada
Não apetecia largar
Não queria perder aquelas pessoas
Iria algum dia voltar a vê-las?
E se voltasse? Continuaríamos como dantes?
Uma mistura de dúvidas, incertezas, perguntas sem resposta
percorriam a minha cabeça e, acredito, que a de todos
Não queria ir embora
Não queria perder aquelas pessoas que foram tão importantes para mim
e que me ajudaram a crescer
Restam-me as memórias...
Mas o que são as memórias no fim de contas?
Apenas flashes que nos passam pela cabeça
num dia qualquer sem aviso prévio
Não era as memória que eu queria
Queria voltar atrás
Viver tudo outra vez
Não para mudar o que ficou feito
Não para fazer o que ficou por fazer
Mas para recordar o que vivi
Voltar a sentir o que senti em determinado momento em determinada situação
Será que me arrependia de alguma coisa?
Melhor não pensar nisso
O que está feito está feito e não pode ser alterado
Talvez seja melhor assim...
Saudades..

terça-feira, janeiro 17, 2006


Às vezes gostava de voltar aos meus 7 anos
A minha mente era tão leve, tão desprotegida
Parecia que o mundo inteiro cabia lá dentro
Gostava de voltar à ingenuidade desses tempos
À felicidade e à curiosidade que se movia pelas coisas simples
Quando as pequenas coisas serviam para nos fazer sorrir
Agora as coisas já não são assim
A mente parece pesar-nos
Estamos sempre ansiosos por mais
O que temos já não nos satisfaz
E as pequenas coisas parecem passar-nos ao lado
Tudo parece fugir-nos numa luta constante contra o tempo
Se o tempo voltasse atrás...
Mas não volta
temos de aproveitar o presente
Apreciá-lo
Vivê-lo
Porque só o vamos viver uma vez
Acima de tudo amo-te Vida
Por tudo o que me proporcionas
E por tudo aquilo que ainda não me proporcionas-te

terça-feira, janeiro 03, 2006

(21-10-05)

Para a aula de Portugês juntei-me com a susana e o resultado foi este.
Auto-retrato
Pequena, de ternos olhos castanhos e com um sorriso doce nos lábios: assim eu sou.
Sou como o vento; poderoso e inconstante.
Por vezes leve e reconfortante, por outras, forte e poderoso, como se ninguem o pudesse deter.
Sou luz, sou vento, sou mar, sou natureza. Sou tudo e nada ao mesmo tempo. Sou a força do vento, a doçura do mar, a luz que vos ilumina ao longo do túnel.
Assim sou eu, o cosmos em constante mudança.

sexta-feira, dezembro 30, 2005


Quem sou?
Apenas uma rapariga como tantas outras,
Com os seus prematuros 15 anos
De uma juventude que teima em crescer mais depressa

Os jovens são assim,
vivem tudo muito depressa e muito intensamente
Gosto dessa sensação
O coração aos pulos,
Aquela sensação de liberdade,
de esperança, de incerteza
de quem tem um longo futuro à sua frente
Um futuro incerto
Gosto da sensação de despreocupação,
de prazer, de revolta

Assim é a juventude de hoje
E de sempre